Após dois anos de recessão mais severa na história do Brasil, os indicadores econômicos continuam a mostrar resultados positivos. Em setembro, a atividade da indústria doméstica aumentou 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado, o melhor desempenho do mês nesta base de comparação desde 2013, de acordo com dados divulgados na quarta-feira (1 de novembro) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE).

Com este resultado, a produção da indústria brasileira atingiu um aumento de 0,4 por cento nos últimos doze meses, o primeiro número positivo após 39 meses de declínio na base dessa comparação.

Os números de setembro revelam que a recuperação está generalizada. Todas as principais categorias da indústria registraram crescimento em relação ao mês de setembro do ano passado. No que diz respeito às principais categorias, o produto foi destinado a bens de consumo duráveis ​​(16,2%), bens de capital (5,7%), bens intermediários (1,9%) e produtos semi-duráveis ​​e não- bens de consumo duráveis ​​(0,1%).

Entre os subsegmentos industriais, os principais avanços foram registrados em equipamentos automotivos (20,9%), informática e óptica (16,9%), mobiliário (11%), produtos petrolíferos (3,9%) e produtos alimentares (3,6%).

SEM COMENTÁRIOS